BLOG

Relatos ilustrados de nossos roteiros

Você esta aqui:

September26

WILDLIFE TOUR | Santuário do Caraça 20/set

 

 

Cortando mais de 1000 quilômetros em Minas Gerais e Bahia, a Serra do Espinhaço é a única cordilheira do Brasil. Coberta por Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga, o Espinhaço é também um dos maiores centros de endemismos do mundo. Abrigando paisagens deslumbrantes e biodiversidade riquíssima, o Espinhaço é certamente um dos melhores destinos para observação e fotografia de natureza do mundo. Nessa expedição visitaremos a porção Sul da cordilheira, mais especificamente a Serra do Caraça, que está inserida no Quadrilátero Ferrífero de Minas Gerais. O Complexo Santuário do Caraça é o conjunto de toda a propriedade de 11.233 hectares, onde estão localizados o Conjunto Arquitetônico do Santuário, a área da RPPN (área de 10.187 ha), e partes identificadas pela proprietária como áreas de manejo. No Conjunto Arquitetônico estão a igreja neogótica, o prédio do antigo colégio (hoje museu e biblioteca) e a pousada. Na área de manejo estão localizadas a Fazenda do Engenho, o Buraco da Boiada, a Fazenda do Capivari.

 

No dia 20 de setembro de 2018 recebemos o casal de ecoturistas ingleses Lynne e Alan Cuthbertson, para um dia no Santuário do Caraça, em busca de avistamentos de mamíferos e aves.

 

Lynne e Alan rodam o mundo inteiro observando mamíferos, sua paixão. Já avistaram tigres, ursos, baleias… Alguns anos atrás foram para o Pantanal para ver onças e antas. Tiveram uma baita frustração, pois pegaram condições climáticas ruins e acabaram voltando para casa sem a anta. Dessa vez planejaram a viagem em melhor data e incluíram Minas Gerais no tour, para tentar avistar lobo-guará e anta. Saindo do Caraça, o plano era seguir para a Amazônia e depois Pantanal, sendo a anta o objetivo principal de toda a viagem. Além deles também estava na lista encontrar cachorro-do-mato e os macacos guigós. Não haveria outro lugar a visitar que não o Santuário do Caraça e eu tive o prazer de conduzi-los. Chegamos na noite anterior e antes mesmo de começar nossas buscas, a primeira grande surpresa: uma belíssima irara nos presenteou na estrada que liga a portaria até a sede. Consegui parar o carro e foi possível observar o animal por alguns minutos. Quando chegamos ao Santuário, já estava na Hora do Lobo e o segundo objetivo também já foi alcançado!

 

 

Na manhã seguinte, antes mesmo do nosso café-da-manhã, já saímos em busca das antas. Em conversa com funcionários do Caraça, recebi informações de que havia ao menos um indivíduo rodando 0 Santuário naquela semana. Quando chegamos na trilha, encontrei algumas pegadas recentes e aquilo me trouxe esperanças. Comecei então minhas buscas pelos guigós e pela anta. Os guigós estão bastante ariscos, sendo que a última vez que consegui avistá-los foi em fevereiro. Estranhamente os funcionários do Caraça também relataram que não estão ouvindo mais sua característica vocalização. Após tentar algumas vezes atrair-los sem sucesso, chegamos a ouvir uma resposta, mas sem avistamentos. Nesse meio tempo, fui surpreendido por uma dupla de falcão-relógio, rapinante florestal muito difícil de ser avistado, que ficou bem em cima de nós por um bom tempo. Foi emocionante! Também conseguimos avistar o surucuá-variado e um ritual de acasalamento dos tangarás.

 

2018.09.20_002 santuario caraca2018.09.20_014 santuario caraca 2018.09.20_003 santuario caraca

 

Retornamos para o café-da-manhã e logo depois já retomamos nossa busca. Conseguimos novamente escutar os guigós, mas sem chance de visualizar os animais. Uma pena. Realmente é preciso investigar o que pode ter causado essa baixa de atividades desses primatas no local. Bem, vida que segue e alguns passarinhos foram ocupando nosso tempo. Alguns bem legais, inclusive. Avistamos rabo-mole-da-serra, papa-moscas-de-costas-cinzentas, formigueiro-da-serra, trepador-quiete, tachuri-campainha, sabiá-una entre outros. Fizemos uma rápida visita até a cachoeira cascatinha e retornamos para o almoço.

 

2018.09.20_006 santuario caraca 2018.09.20_008 santuario caraca 2018.09.20_004 santuario caraca 2018.09.20_005 santuario caraca 2018.09.20_007 santuario caraca 2018.09.20_009 santuario caraca

 

Após o almoço fizemos a última tentativa de avistar mais algum mamífero, principalmente os guigós, já que anta seria bastante difícil. Ficamos por cerca de 2 horas esperando algum sinal de movimento nas copas das árvores e nada, só os passarinhos. Os tangarás continuavam agitados, e ocuparam nosso tempo enquanto aguardávamos. Em um determinado momento eu sinto a Lynne me cutucar as costas e quando eu viro, para minha enorme surpresa, uma anta sai de dentro da mata e segue caminhando pela trilha por alguns metros, até entrar na mata do outro lado. Ficamos estáticos observando, sem acreditar que aquilo estava acontecendo. Tive algum tempo para configurar a câmera e conseguir algumas fotos bem ruins. Quando ela desapareceu, sentir a emoção da Lynne foi fantástico. Seus olhos se encheram de lágrimas e recebi um carinhoso e forte abraço. Rapaz, que momento!!! Segunda oportunidade em um ano que consigo ver esse animal incrível na natureza em Minas Gerais. O principal objetivo da viagem tinha sido alcançado já no primeiro dia, no primeiro destino. Os sorrisos na imagem abaixo mostram o quanto estávamos felizes.

 

2018.09.20_013 santuario caraca 2018.09.20_012 santuario caraca2018.09.20_001 santuario caraca

 

Após tanta emoção, só restava retornar para mais uma noite de lobo-guará, quando no meio do caminho mais uma agradável surpresa, um pequeno cachorro-do-mato passeava pelas trilhas do Santuário, provavelmente também esperando uma boquinha na comida oferecido ao guará.

 

2018.09.20_015 santuario caraca2018.09.20_010 santuario caraca 2018.09.20_011 santuario caraca

 

Encerramos o rápido passeio com 4 mamíferos na conta, em apenas um dia! Grandes resultados e clientes extremamente satisfeitos.

 

Venha também conhecer o a incrível fauna do Santuário do Caraça com a Destinos MG Turismo.

 

Um grande abraço,

 

EDU FRANCO

 

  • Posted by Eduardo Franco
  • 6 Tags
  • 0 Comments
COMMENTS