BLOG

Relatos ilustrados de nossos roteiros

Você esta aqui:

July18

BIRDING TRIP | Serra do Cipó 14/jul

 

 

Cortando mais de 1000 quilômetros em Minas Gerais e Bahia, a Serra do Espinhaço é a única cordilheira do Brasil. Coberta por Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga, o Espinhaço é também um dos maiores centros de endemismos do mundo. Abrigando paisagens deslumbrantes e biodiversidade riquíssima, o Espinhaço é certamente um dos melhores destinos para observação e fotografia de natureza do mundo. Nessa expedição visitamos a porção Sul da cordilheira, principalmente a Serra do Cipó. A Serra do Cipó é protegida por importantes reservas, como a APA Morro da Pedreira e o Parque Nacional da Serra do Cipó. A altitude das porções serranas varia de 700 a 1600 metros e a vegetação acima de 1000 metros é caracterizada pelos campos rupestres e de altitude, possuindo ambientes típicos de Cerrado e Mata Atlântica em suas faces. Atualmente a Serra do Cipó é destino procurado por turistas das mais variadas modalidades, geralmente atraídos por esportes de aventura e turismo de natureza.

 

No dia 14 de julho de 2018 recebemos o fotógrafo Diomar Mühlmann para uma rápida passarinhada na Serra do Cipó, em busca de boas fotos das espécies típicas do cerrados e campos rupestres.

 

Encontrei com o Diomar na pousada em que estava hospedado ainda de madrugada e improvisamos um café-da-manhã rápido antes de partir para a trilha. Como o tempo disponível era bem pequeno e o desejo do Diomar se resumia em boas fotos de espécies interessantes, como beija-flores e outros bichos coloridos, acabamos deixando os endemismos dos campos rupestres (lenheiro e pedreiro) de lado e focamos no cerrado. Aproveitei o momento para explorar uma trilha que ainda não havia visitado, e os resultados mostraram que fizemos uma excelente escolha.

 

Antes mesmo de o Sol iluminar nosso caminho, um par de seriema deu um verdadeiro espetáculo, inédito para mim, permitindo grande proximidade. Tão próximo que nem cabia inteira no quadro. Não bastasse isso, elas ficaram vocalizando por alguns preciosos minutos bem ali na nossa frente. Bicho grande, bonito e muito interessante. Pouco mais a frente, uma belíssima choca-de-asa-vermelha apareceu, mas não deu muita chance. No mesmo ponto, um indivíduo do diminuto sebinho-de-olho-de-ouro rendeu algumas imagens.

 

2018.07.14_015 cipo2018.07.14_002 cipo2018.07.14_016 cipo

 

Passamos por um trecho de subida moderada e, após vencer uma das paredes rochosas da Serra, encontramos um belo campo já bem iluminado pela luz da manhã que rompia algumas nuvens. Ao longo da caminhada encontramos alguns córregos protegidos por mata ciliar, bastante atrativos. Essa parte da trilha já está dentro dos limites do Parque Nacional da Serra do Cipó. Muito passarinho ativo naquele ponto. Encontramos um bando de batuqueiro, maria-preta-de-penacho, guaracava-de-barriga-amarela e grande destaque para o pica-pau-chorão, espécie muito difícil de se localizar em campo.

 

2018.07.14_017 cipo2018.07.14_003 cipo2018.07.14_007 cipo

 

Nos aproximamos de uma dessas matinhas e lá encontramos um dos principais objetivos do dia, o beija-flor-de-gravata-verde. Ave belíssima, que vive nos campos rupestres da Cadeia do Espinhaço. Ali também conseguimos boas imagens do joão-porca e do papa-moscas-de-costas-cinzentas. Também estavam por ali  besourinho-de-bico-vermelho, o rabo-branco-acaneladoguaracava-de-topete-uniformesaíra-amarela entre outros.

 

2018.07.14_004 cipo 2018.07.14_005 cipo 2018.07.14_006 cipo

 

Já na volta da trilha, muita coisa legal ainda nos aguardava. Uma bicharada muito ativa nos acompanhou por um trecho até um ponto que conseguimos clicar boa parte dela. Os grandes destaques vão para o campainha-azul, e um par de bandoleta que nos proporcionou raros momentos em que a dupla exibia deu display territorialista bem na altura dos nossos olhos (geralmente essa espécie escolhe pontos altos para esse comportamento). Ficamos um bom tempo por ali observando, encantados, todo aquele baile. Também apareceram ali o chifre-de-ouro, a tesoura-do-brejo entre outros. Já era próximo do meio dia quando fizemos uma parada para o almoço.

 

2018.07.14_010 cipo 2018.07.14_008 cipo 2018.07.14_009 cipo

 

Na volta fizemos uma rápida busca por outras espécies bem bonitas que poderiam interessar ao Diomar e acabamos sendo presenteados com a linda choca-do-nordeste e o rapazinho-dos-velhos.

 

2018.07.14_012 cipo 2018.07.14_011 cipo

 

Com a maior parte dos objetivos atingidos e outros inesperados, acabamos encerrando nosso dia antes mesmo do esperado, com uma lista bastante interessante para um dia bem no mês de julho, que costuma ser bem fraco. Fiquei bastante satisfeito com os resultados.

 

Agradeço ao Diomar pela confiança no trabalho da Destinos MG Turismo e aos nossos importantes parceiros que sempre são muito importante para o sucesso dos nossos roteiros. Fechamos o dia com mais de 10 lifers e muitas excelentes fotografias.

 

Um grande abraço,

 

Edu Franco

 

  • Posted by Eduardo Franco
  • 3 Tags
  • 0 Comments
COMMENTS