BLOG

Relatos ilustrados de nossos roteiros

Você esta aqui:

July01

BIRDING TRIP | Norte de Minas

 

 

Cortando mais de 1000 quilômetros entre Minas Gerais e Bahia, a Serra do Espinhaço é a única cordilheira do Brasil. Coberta por Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga, o Espinhaço é também um dos maiores centros de endemismos. Abrigando paisagens deslumbrantes e biodiversidade riquíssima, é certamente um dos melhores destinos para turismo de natureza do mundo. Nessa expedição visitaremos a porção central da cordilheira, mais especificamente o município de Botumirim. Este lugar fascinante situa-se no Norte de Minas Gerais, localizado a 168 km de Montes Claros. Botumirim é uma cidade mais do que perfeita para ecoturismo, por proporcionar natureza, animais e esportes de aventura como rafting, trekking, caminhadas em trilhas e muito mais. O local guarda um vasto território repleto de belezas naturais, influenciados pelos biomas Mata Atlântica, Cerrado e Caatinga. São serras, campinas, cachoeiras, trilhas para caminhadas e cavalgadas e sítios arqueológicos com pinturas rupestres. Não bastasse tudo isso, Botumirim é a casa da única população conhecida da rolinha-do-planalto, nosso principal objetivo nessa viagem. A recém-criada Reserva Natural Rolinha-do-planalto é mantida ela SAVE Brasil, entidade responsável pela criação e manutenção da área, projeto fundamental para a conservação dessa raríssima espécie.

 

Nos dias 08 a 10 de junho organizamos, para os birders Marcelo Garcia, Geraldo Starling e Carlos Alberto Faria, uma birding trip para o Norte de Minas com foco na raríssima rolinha-do-planalto e em outras espécies que poderiam ser encontradas em tão singular região da Serra do Espinhaço.

 

Chegamos ao aeroporto de Montes Claros e seguimos diretamente para o Parque Estadual da Lapa Grande, um local lindo com paisagem e fauna incríveis. Ótimo local para observar espécies típicas de Mata Seca. Imediatamente após entrar no parque, já começamos a registrar algumas espécies interessantes, destaque para o casaca-de-couro-amarelo, a gralha-cancã e o asa-de-sabre-da-mata-seca, beija-flor recém descrito por cientistas.

 

2018.06.08_001 norte de minas 2018.06.08_002 norte de minas

 

Havia pouco tempo disponível e então partirmos para entro da unidade e, percorrendo as principais trilhas do parque, encontramos espécies bem interessantes, como o tico-tico-do-são-francisco, gavião-de-penacho, o ameaçado e raro cara-durada, picapauzinho-pintado e a belíssima choca-barrada-do-nordeste.

 

2018.06.08_003 norte de minas 2018.06.08_004 norte de minas 2018.06.08_005 norte de minas 2018.06.08_006 norte de minas

 

Exploramos as trilhas até o último minuto possível, antes de seguir viagem para Botumirim/MG, onde no dia seguinte iríamos buscar nosso principal objetivo, a raríssima rolinha-do-planalto. Chegamos a noite e fizemos um rápido jantar. Agora era segurar a ansiedade e tentar dormir.

 

Acordamos bem cedo para tomar nosso café-da-manhã e lá mesmo nos encontramos com o Marcel Junqueira, biólogo da SAVE responsável pelo monitoramento da espécie e por receber os visitantes. Seguimos então para a reserva e logo no começo da caminhada o Marcelo nos apontou um dos poleiros que a rolinha estava usando. Não precisou 3 minutos e escutamos uma delas exatamente no local indicado. Um pouco mais de tempo esperando e adivinhem onde ela pousou? No poleiro exato. Era um macho que ficou ali por alguns poucos minutos e depois se escondeu. Foi o tempo necessário para passar a ansiedade e as primeiras fotografias serem feitas. Emoção pura e um prazer enorme poder levar pessoas nesse lugar tão especial e sentir a mesma coisa que eu senti quando fui pela primeira vez. O tempo estava estranho, um nublado insistente que não ajudou muito. A rolinha vocalizou mais algumas vezes, mas nada de aparecer. Aguardamos quase a manhã inteira e não conseguimos observá-la novamente. Quando decidimos retornar para o almoço um macho de chifre-de-ouro resolve pousar exatamente na nossa frente, dando um presente de recompensa, após uma manhã um tanto quanto frustada, com poucas chances cm a rolinha.

 

2018.06.08_007 norte de minas 2018.06.08_008 norte de minas

 

Fizemos uma pausa para almoçar e então seguimos para outro ponto de observação em Botumirim e as aves estavam bem quietas também, até que um pompeu finalmente quebrou o silêncio. Sem exagero algum, precisamos de umas 02 horas de muita paciência até que todos conseguissem alguma foto descente. Bichinho arisco demais, mas missão cumprida. Ainda restava algum tempo e resolvemos retornar na rolinha, mas não obtivemos sucesso.

 

2018.06.08_009 norte de minas

 

No último dia de viagem ainda havia uma manhã para retornar na reserva da rolinha. Fizemos  mesmo ritual e chegamos bem cedinho. A rolinha apareceu no mesmo poleiro, exatamente como na manhã do dia anterior. Porém, dessa vez ela ficou mais tempo. Ela voltou a se esconder, mas dessa vez estava mais ativa e vocalizou por várias vezes, até que consegui encontrá-la novamente. Ai ela começou a dar show e ficou exposta por várias vezes, permitindo boa aproximação e fotografias bem melhores. Ainda conseguimos encontrar uma fêmea de estrelinha-ametista nesse meio tempo.

 

2018.06.08_010 norte de minas 2018.06.08_011 norte de minas2018.06.08_012 norte de minas

 

Pouco antes de irmos embora, fizemos uma tentativa de avistar o tem-farinha-ai, que também nos tomou muito tempo até que alguma imagem saísse. Não foi fácil, mas novamente a paciência foi fundamental, já que os bichos não estavam mesmo colaborando.

 

2018.06.08_013 norte de minas

 

Encerramos então nossa viagem nesse lugar espetacular, uma paisagem típica da Serra do Espinhaço que a rolinha-do-planalto escolheu como refúgio. Sempre importante citar o incrível trabalho da SAVE Brasil na conservação dessa espécie tão rara e agradecer pela confiança em permitir que organizássemos roteiros na área.

 

 

Agradecemos a todos os nossos parceiros e aos nossos clientes pela confiança em nosso trabalho.

 

Um grande abraço,

 

EDU FRANCO

 

  • Posted by Eduardo Franco
  • 6 Tags
  • 0 Comments
COMMENTS